Brasil: a taxa de desemprego atinge o 13,6% em abril

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), trata-se da maior taxa de desemprego para um trimestre finalizado em abril a partir de 2012, quando havia sido de 7,8%.
A taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,6 % no trimestre compreendido entre fevereiro e abril passado, o que representa que cerca de 14 milhões de pessoas estão sem trabalho, informou hoje o Governo.
O desemprego no período foi ligeiramente inferior ao do primeiro trimestre deste ano (13,7%, a maior taxa desde 2012), mas superior ao do trimestre que acabou em janeiro (12,6%) e ao do mesmo período de 2016 (11,2%).
O salário médio dos trabalhadores entre fevereiro e abril, foi de 2.107 reais (cerca de 658 euros), estável em relação ao trimestre anterior e a comparação anual.
O nível de desemprego reflete a profunda recessão que atravessa o Brasil, cuja economia se contraiu 3,8% em 2015, o pior resultado em 25 anos, e 3,6% em 2016, o encadeamento assim por dois anos consecutivos no vermelho pela primeira vez desde a década de 1930.
Os analistas do mercado financeiro acreditam que o PIB brasileiro sairá do terreno negativo este ano para crescer em torno de 0,49% e mantêm o otimismo de lado a 2018, quando esperam que a economia se expanda um 2,48%.
Apesar dos fracos indicadores macroeconómicos, o presidente do Brasil, Michel Temer, afirmou recentemente que o segundo semestre é “muito provável” que tenha “radicalmente combatido o desemprego no país.
O mandatário tenta combater o desemprego com uma reforma trabalhista que tramita no Congresso e abrir a porta para o barateamento de custos laborais, permitirá negociar acordos coletivos com valor de lei e dar um duro golpe financeiro aos sindicatos, ao eliminar a contribuição obrigatória que lhes atribui a legislação vigente.

About author