A DPT aprova o plano de investimento em estradas provinciais dotado com 10 milhões de euros

Serão investidos 3,4 milhões em 2017, 3,3, em 2018, e a mesma quantidade em 2019.
A Província de Teruel (DPT) foi aprovado nesta quarta-feira, em sessão plenária, o Plano de Investimento em Estradas Provinciais 2017-2019 dotado com 10 milhões de euros. Um calendário de acções que permitem investir 3,4 milhões em 2017, 3,3 milhões de dólares em 2018 e outros 3,3 em 2019.
Com este plano pretende-se abordar de forma progressiva deterioração das estradas de titularidade provincial e manter constante ao longo do tempo os investimentos nessas vias para dar segurança aos municípios e evitar que o mau estado das infra-estruturas prejudique o desenvolvimento e a economia provincial.
“Com esta importante medida é a melhoria na segurança rodoviária, mas também facilita a vida dos habitantes da província e a nossos povos, já que o bom estado das estradas ajuda a manter a atividade econômica e, portanto, o assentamento da população no território”, disse o presidente da DPT, Ramón Millán.
Em termos semelhantes, manifestou-se o primeiro vice-presidente da instituição, José Juste, que sublinhou que “a província necessita de comunicações acordes ao século XXI, para favorecer o desenvolvimento de atividade econômica dos povos e a luta contra o despovoamento”. Algumas atuações, acrescentou, “que são possíveis graças à boa gestão que está realizando a equipe de Governo da Província de Teruel, durante os últimos seis anos”.
Millán recordou que se trata de uma das principais reivindicações dos prefeitos e que este ambicioso plano de três anos só pode ser alcançado somando recursos de todas as administrações.
De fato, as rubricas incluídas neste plano serão financiadas pela DPT através do Fundo de Investimentos Municipais Financeiramente Sustentáveis (FIMS), cuja disponibilidade está sujeita à aprovação dos Orçamentos Gerais do Estado, que permite reinvestir os remanescentes de tesouraria e o superárvit. O restante do investimento virá do Fundo de Investimento de Teruel com o que, igualmente, será contado uma vez, aprova as contas do Estado para o ano em curso.
44 acções
No total, estão previstas 44 ações, cujo preço oscila entre os 100.000 e 350.000 euros. Tratam-Se fundamentalmente de reforços população era de mais de 70 por cento dos casos, o que permite contar com uma via nova.
Com esse novo Plano trienal, triplicou o investimento médio anual que vem realizando nos últimos anos, a Instituição nas estradas de titularidade provincial e que foram levadas a cabo com a idéia de “modernizar, atualizar e tornar segura a rede municipal de estradas”, segundo Millán.
A Província de Teruel já aprovou, em maio de 2016 um Plano extraordinário de pavimentos asfálticos pelo montante de um milhão, em que se incluiu o arranjo de 18 troços de estradas, proveniente do excedente orçamental de 2015. A isso se soma o investimento que a cada ano realiza a DPT para a conservação e manutenção da rede e que no presente exercício ascende a 1.170.000 euros.
A rede de estradas provinciais catalogada da Câmara Municipal de lisboa é composta por 139 estradas provinciais com um comprimento total de 956 quilômetros. Além dessas vias, a Instituição provincial se ocupa do arranjo de caminhos rurais e outras vias sem catalogação oficial, até somar um total de 1.500 quilômetros.
Auxílios a municípios
Em sessão plenária realizada nesta quarta-feira, foram aprovados também três programas de apoio aos municípios por um montante superior a 377.000 euros. Em primeiro lugar, foi dado luz verde às ajudas para a ornamentação e ajardinamientos de espaços públicos de titularidade municipal, dotado de 124.000 euros.
Além disso, foi acordado entre as ajudas para a reabilitação de imóveis de propriedade municipal para usos sociais, no montante de 185.786,45 euros, e o programa de apoio aos municípios para a prestação de serviços às pessoas (PAAS), dotado com 68.000 euros.
A corporação municipal ratificou, também, o acordo de colaboração com o departamento de Educação, Cultura e Desportos do Governo de Aragão, para realizar melhorias nos centros públicos de infantil e primária da província. A DPT dará 200.000 euros para estas obras, a mesma quantidade que o Executivo autônomo.
Outro dos convênios aprovados nesta quarta-feira, em pleno fazem referência à reparação de diferentes acuartelamientos da Guarda Civil na província, em parceria com a Secretaria de Estado de Segurança do Ministério do Interior. Neste caso, a contribuição da instituição regional ascende a 100.000 euros.
Património
Finalmente, foi ratificado o acordo de colaboração com o Bispado de Teruel e Albarracín para a restauração do patrimônio artístico e arquitetônico da Diocese durante 2017. Neste caso, apressar-se-ão tarefas de conservação e restauro em 17 igrejas, com um investimento global de 224.000 euros, dos quais 70.000 euros correspondem à contribuição da Câmara Municipal de Teruel.
Em matéria agrária, foi aprovado também o Programa de Apoio a Feiras agropecuárias, agro-alimentares e ambientais, em parceria com a Caixa Rural de Teruel, que prevê a concessão de auxílios por valor entre 600 e 6.000 euros para os comitês organizadores das feiras. A contribuição de Câmara este ano é de 60.000 euros (10.000 a mais que o ano passado), enquanto a Caixa Rural de Teruel destinará 12.500 euros.
O coração tem servido igualmente para autorizar a entrada em funcionamento de vários convênios de cooperação em matéria de Cultura, Esporte e bem-Estar Social por um montante total de 127.000 euros.
Na sessão foram aprovado também por unanimidade, duas propostas de Ganhar Teruel contra os cortes de contribuição do Estado, dos Correios e uma em defesa da central térmica de Andorra. No caso dos Correios, o pleno avisado do impacto que teriam os recados para a província de Teruel, tanto em linhas de distribuição do Serviço Postal Universal, como a perda de postos de trabalho. No caso da térmica, são afetados 200 empregos diretos e até 4.000 indiretos em toda a comarca.

About author